Apresentação oral de trabalhos: como este método estimula os alunos?

Desenvolver a capacidade retórica dos estudantes é essencial para sua formação profissional e social futura.

 

 

As tradicionais avaliações em que, ao fim e meio do bimestre, o aluno deve cumprir uma prova escrita sobre o conteúdo aprendido não são suficientes para desenvolver todas as habilidades e competências que a escola deve promover. Por isso, é importante que existam avaliações diferenciadas como, por exemplo, seminários em que o estudante apresente oralmente um tema selecionado. 

Esse tipo de atividade desenvolve importantes conhecimentos e competências nos alunos. Ela treina a sua retórica, passando a desenvolver de maneira coerente pensamentos de forma oral. Existem muitas pessoas que possuem medo de falar em público, seja por timidez ou simplesmente porque não estão habituadas a isso. Fazendo com que o estudante desde cedo suba ao tablado da sala de aula e ganhe a palavra, esse medo pode ser reduzido e tal capacidade treinada.

No mais, o processo de concatenar ideias oralmente é muito diferente daquele feito apenas em pensamento. Expressar-se e comunicar-se de forma clara é algo a ser treinado assim como o ato de escrever. Não é necessário que esse tipo de atividade escolar seja pontuado no final do semestre, mas, é imprescindível que a escola ofereça esse tipo de treinamento aos seus alunos.

Estando à frente da turma, o aluno ocupa o lugar do professor e é capaz de identificar as dificuldades pelas quais o mestre enfrenta quando tenta passar o conhecimento de forma clara à turma, tendo ainda que lidar com possíveis focos de desinteresse ou conversa. Falar em público é um aprendizado completo e uma formação importante para qualquer futuro profissional. Além do mais, a concatenação de ideias de maneira oral é um estágio posterior de seu entendimento cognitivo. Só é capaz de se expressar claramente aquele aluno que estudou e possui certo domínio sobre o assunto. Isso alavanca o processo de estudo dos alunos.

A retórica é uma arte a ser desenvolvida por qualquer profissional ou futuro profissional. Não há lugar melhor para que isso se inicie do que a escola. Claro que existem pessoas que possuem um talento retórico maior do que as outras, assim como existem aqueles que são melhores em cálculo ou esportes. Por isso, cabe ao professor uma avaliação das habilidades desenvolvidas e não de quem fala melhor. Nem sempre um aluno que domina o conteúdo apresentado poderá se expressar tão claramente quanto àquele que possui menos domínio, mas uma ótima habilidade comunicativa. O que está em jogo nesse tipo de atividade é a medida do esforço de cada um, não qual fala melhor ou pior em público. Com esforço, todos podem moldar essa capacidade.

Texto produzido pela equipe da Futuro Eventos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.