Desenvolvendo a percepção da identidade e da autonomia na Educação Infantil

Com algumas atividades lúdicas, o professor da Educação Infantil pode auxiliar a criança a desenvolver a sua identidade e autonomia, assim como a percepção de suas diferenças em relação aos outros.

A primeira infância é tempo de descobrir si mesmo, o outro e o mundo, por isso é tão importante que as práticas pedagógicas destinadas a crianças de 0 a 6 anos de idade tratem dessas formas de conhecimento no dia a dia em sala de aula. De forma lúdica, algumas atividades estabelecidas como planos de aula para a Educação Infantil podem ajudar as crianças a terem percepções diversas sobre si mesmas e formar a sua autonomia, assim como respeitar as diferenças alheias. Neste post, propomos três planos de aula diferentes que ajudam nesse aprendizado.

 

Brincar na frente do espelho: o espelho reflete a imagem da criança, ajudando-a a entender a si mesma. Primeiramente, a criança deve ver-se refletida no espelho e depois pode, com o auxílio do educador, fantasiar-se, pintar-se e mudar um pouco do próprio reflexo, demonstrando que a imagem que vemos de nós mesmos e dos outros não corresponde àquilo que realmente somos por dentro, sendo que mais interessa nossos sentimentos e valores, que correspondem ao que verdadeiramente somos.

 

Usar fotografias: por meio de fotos das crianças que mostrem suas atividades diárias, é possível desenvolver um plano de aprendizado em que elas identifiquem as diferenças no seu cotidiano e dos outros coleguinhas. O professor deve pedir à turma que traga registros de suas atividades favoritas como brincar, pintar, tocar algum instrumento ou praticar algum esporte. Assim, em turma, todos podem perceber as diferenças de atividades e gostos de cada aluno, entendendo um pouco mais sobre autonomia e identidade, o que nos faz nós mesmos e o que nos diferencia dos outros. Depois, o professor pode tirar uma foto da turma toda, envolvendo cada aluno no grupo, demonstrando que somos não apenas indivíduos, como também parte de um grupo maior e social. Isso demonstrará aos pequenos as diferentes formas de interação social que ele vive e que o estabelece como sujeito.

 

Pensar sobre si mesmo e outro através de histórias: ouvindo histórias, as crianças são capazes de colocarem-se no lugar das personagens, tendo a percepção de sentimentos e dilemas alheios aos seus, fazendo com que assim, possam experimentar ser um pouco do outro durante a narrativa. Nada melhor do que experimentar um pouco de outra vida por um curto período de tempo para que elas possam aprender a perceber o outro e as diferenças que existem entre este e si mesmas. Isso não só fortalece a própria autonomia da criança, como a induz a aprender a respeitar as diferenças existentes entre os indivíduos. Pode se tratar apenas de uma história, mas a força que a literatura tem sobre a imaginação e a criatividade da criança aguça a sua percepção do mundo e do outro, ensinando importantes lições para a vida.

 

Texto produzido pela equipe da Futuro Eventos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.