Estudantes brasileiros estão entre os piores em trabalhar em grupo

Os alunos brasileiros alcançaram o penúltimo lugar em pesquisa com 52 países sobre as habilidades de trabalhar em grupo. Esse é só mais um índice que deriva da desvalorização do ensino em nosso país.

 

 

 

Um relatório internacional feito pelo PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) demonstrou que o Brasil está em penúltimo lugar entre 52 países com relação à habilidade de seus alunos em resolver problemas em esforço colaborativo, ou seja, consultando diferentes opiniões, trabalhando em conjunto e chegando a consensos. A média dos estudantes brasileiros foi de 412 pontos, o que fica muito abaixo da média entre todos os países avaliados, que foi de 500 pontos. O Brasil só perdeu o posto de último lugar nesse ranking para a Tunísia, que registrou 382 pontos na escala.

Fica então a pergunta, por que o estudante brasileiro tem tanta dificuldade em trabalhar em grupo? Essa resposta deriva da questão básica que sempre colocamos aqui no blog: como lidar com o outro diferente de mim mesmo dentro do ambiente escolar? Certamente, se tomarmos, por exemplo, o índice de professores que sofrem distúrbios psicológicos e estresse dentro de sala de aula, já temos de antemão um resultado alarmante: o de que sequer os professores são respeitados efetivamente dentro de sala de aula. Se um aluno não respeita seus professores, de que maneira poderá respeitar outro colega e com ele trabalhar em conjunto para alcançar um resultado positivo?

Essa questão também tem fundamentos sociais que nem sempre podem ser resolvidos pela escola. Um aluno que não age como cidadão dentro do ambiente escolar, muito provavelmente não cultiva o respeito ao próximo dentro de casa. A escola, em tese, deveria ser um espaço para se aprender a cidadania. Mas a forma como a escola é desvalorizada pela nossa sociedade, acaba alienando seus alunos e anulando a capacidade que o conhecimento traz a todos de se encararem como iguais dentro da sociedade.

Certamente, a prática do trabalho em grupo durante o período escolar como forma de avaliação pode acelerar o processo de desenvolvimento das habilidades dos estudantes em colaborar com o outro. Mas para isso, é preciso outras medidas de ensino e exercer a cidadania dentro da escola. Primeiramente, a valorização do professor. O trabalho em sala de aula é sempre um trabalho em conjunto. O professor trabalha em conjunto com a sua turma de alunos e depende de todos para que seu exercício seja bem-sucedido. A partir do momento que o estudante souber dar o devido respeito a seu professor e à escola, poderá então entender que escutar e aprender com opiniões diferentes das suas é também uma forma de aprendizado e de respeito.

Se continuarmos desvalorizando os professores e mantendo uma posição de desleixo com relação à escola, dificilmente saberemos respeitar as diferenças do próximo e exercer a cidadania. Aí, trabalhar em grupo sempre será um desafio árduo. O que é uma grande perda tanto para a sociedade quanto para o mercado de trabalho, onde, invariavelmente, dependemos de mais pessoas para atingir o resultado desejado.

Texto produzido pela equipe da Futuro Eventos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.