A importância da literatura para a alfabetização infantil

“Não se deve ensinar, porém deve-se permitir que a criança aprenda”. Esta frase da especialista em alfabetização infantil Emília Ferreiro é de 1992, mas continua atual. Talvez até nunca deixe de ser atual. Não porque os tempos e as práticas educacionais não sofram mudanças, mas porque as crianças sempre são crianças e ainda não existe outro modo do ser humano se desenvolver que não seja passando por esta etapa da vida.

 


 A fase da pré-leitura estende-se dos três aos seis anos de idade, período em que, geralmente, a criança frequenta a educação infantil, desenvolvendo capacidades e habilidades que a tornarão apta à aprendizagem da leitura. É o período da construção dos símbolos, do desenvolvimento da linguagem oral e da percepção, que permitem o estabelecimento de relações entre as imagens e as palavras.

 
Em geral, as crianças com idade entre 5 e 6 anos ficam boa parte do tempo modelando massas, recortando papéis, reconhecendo semelhanças e diferenças entre figuras, e é aí que o trabalho com a literatura deve estar incluído. De outro modo, a aprendizagem da leitura e da escrita se torna, para grande parte das crianças, algo mecanizado que pouco tem a ver com as necessidades reais de comunicação.
 
Hoje não basta apenas que alunos venham à escola em busca de alfabetização. Saber apenas ler e escrever, já não representa avanço em relação às demandas sociais e culturais da sociedade. É necessário saber fazer uso social da leitura e da escrita em seu cotidiano de forma lógica, reflexiva e que permita o acesso às informações e conhecimentos necessários ao pleno desenvolvimento da cidadania.
 
Criando crianças leitoras 

Criar o hábito da leitura desde as séries iniciais, além de ser fundamental para o processo de alfabetização, constitui um dos maiores desafios aos educadores. Por outro lado, é fácil verificar que a preparação para a alfabetização na pré-escola se organiza, geralmente, em torno do desenvolvimento das aptidões relacionadas à coordenação motora, à discriminação perceptual e à linguagem oral.
Por isso, no processo de alfabetização, a literatura infantil deve ter um espaço especial, pois faz parte do mundo da criança e do universo humano. Sua função é recreativa e pedagógica, quando trabalhada de forma lúdica e criativa, porque desperta não só o interesse pelo mistério, pelo sonho e pela magia, mas também o gosto por criar, reproduzir e compreender.

A literatura infantil ajudará a criança no processo de apreensão do mundo e domínio da linguagem sobretudo ao som, ao ritmo e às cenas individualizadas, os livros destinados a esta fase devem ter poucos textos, muitas gravuras e rimas, tratando de animais e objetos conhecidos e cenas familiares ao mundo infantil. Portanto, o primeiro passo para a formação do hábito da leitura na escola diz respeito à seleção do material.
É importante, sobretudo, que o texto, ao mesmo tempo em que funcione como um instrumento de integração do sujeito ao meio, através da aceitação dos padrões sociais, conduza-o a refletir sobre a realidade, posicionando-se criticamente diante da mesma.
 
O papel da leitura na alfabetização 
 
O propósito da leitura é a compreensão. O propósito da alfabetização é ajudar as crianças a compreender o que lêem e a desenvolver estratégias para continuar a ler com autonomia. Da mesma forma, o propósito de escrever é comunicar, de modo que um leitor situado remotamente no tempo e espaço possa compreender o propósito e o sentido do que foi escrito. Podemos ler sem compreender. Podemos compreender sem ler. Ler é diferente de aprender a ler. O processo de aprender a ler não pode ser confundido com o propósito da leitura.
 
Ler e escrever são faces da mesma moeda embora a escrita seja mais complexa e exija o desenvolvimento de competências adicionais. Escrever exige que a criança aprenda as representações ortográficas de forma precisa e completa. O reconhecimento das palavras é necessário para a compreensão da leitura. Este deve ser o foco de programas de alfabetização, dado que é um importante  instrumento para ajudar a criança a consolidar o conhecimento ortográfico necessário para escrever corretamente.
 
É bastante comum que professores das mais diferentes áreas atribuam o fracasso escolar dos alunos em sua disciplina o fato de seus alunos “não saberem ler”. Portanto, dificuldades de compreensão afetam diretamente seu desempenho, não só no que diz respeito à linguagem, mas em todas as áreas do conhecimento e durante toda a sua vida.
 
Deste modo, o livro de literatura infantil tem um papel fundamental no início do processo da alfabetização, pois conserva na criança o encanto da fantasia pela arte e pelas coisas do mundo sem suprimir as riquezas do seu mundo interior. É permitir que a criança aprenda.

Cristiane Souza
É autora de livros infantis para crianças em alfabetização e para leitores iniciantes. Revisora e editora. Ministra oficinas de criação de texto para adultos e crianças. Jornalista por formação e escritora por paixão. cristiane@cristianesouza.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.