A importância das normas da ABNT

Estabelecer padrões é uma das bases da evolução científica e social do homem. Por isso que seguir a ABNT é de extrema importância na produção e circulação de conhecimento dentro de uma sociedade.

A ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas, é uma entidade sem fins lucrativos fundado em 1940. Ele regula as normas de execução e apresentação de trabalhos das mais diversas áreas. As normas da ABNT são, muitas vezes, o terror dos estudantes ao entregarem trabalhos acadêmicos. No entanto, essa padronização é de extrema importância para o avanço da produção científica em nosso país.

A necessidade de estabelecer padrões
Uma das bases da existência humana e de seu desenvolvimento tecnológico e cultural é a capacidade e necessidade que nosso cérebro possui decriar padrões. Assim, pela observação de padrões naturais, o homem pôde, por exemplo, plantar alimentos, evitar predadores e estabelecer-se num só local, criando sua comunidade, sua sociedade. Pela observação de padrões surgiram as ciências, a matemática, a língua, o alfabeto. É a busca por padrões que continua gerando descobertas no âmbito científico e, muito provavelmente, sempre será. Qualquer trabalho acadêmico sério tem pretensões científicas e, justamente por isso, precisa obedecer a uma norma exigida pelo gênero e, desta maneira, confirmar a sua legitimidade.

ABNT, ISO e TMB
Trocando em miúdos, a ABNT define o processo de um “saber fazer” da ciência como também, de processos industriais. Podemos dizer que sua “matriz mundial” é a ISO (International Organization for Standardization), organização criada após a Segunda Guerra Mundial, em 1947, que funciona como modelo eficaz de transferência de conhecimentos e tecnologia entre países. Foi com a criação da ISO que o mercado e a academia científica descobriram as vantagens da normatização como fator de padronização dentro da produção e concorrência de conhecimento e coisas.
Outro fato interessante é que a ABNT possui papel de destaque dentro da ISO, já que também faz parte do TMB (Technical Management Board), comitê formado por entidades normalizadoras de somente 12 países. A TMB é responsável pela gestão, planejamento estratégico e desempenho de atividades técnicas ao redor do mundo. As outras onze entidades que junto com a ABNT constituem esse comitê internacional são: SAC da China, AENOR da Espanha, NEN da Holanda, AFNOR da França, SABS da África do Sul, DIN da Alemanha, ANSI dos EUA, BSI do Reino Unido, JISC do Japão, SCC do Canadá, e SN da Noruega.

Existem países que não possuem uma entidade que regule suas normas técnicas dentro do âmbito científico, como, por exemplo, a Argentina. Nesses casos, são as universidades as responsáveis por regular e estabelecer essas normas. Mesmo no Brasil, algumas vezes as universidades impõem normas diferentes da ABNT, mas, em geral, são apenas algumas mudanças pontuais e justificadas. Por exemplo, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), os trabalhos acadêmicos depositados no acervo de sua biblioteca são impressos em tamanho A5, ao invés de A4, como estabelecido pela ABNT. Em função da contenção de espaço nas prateleiras de teses e dissertações, os trabalhos devem seguir normas técnicas diferentes. No entanto, se a universidade ou faculdade brasileira não possui direcionamento específico de formatação, o recomendável é sempre seguir as regras da ABNT.

Texto produzido pela equipe da Futuro Eventos.

Um comentário em “A importância das normas da ABNT

  1. Realmente muito bom este post! Conteúdo Relevante!
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens.
    Trabalho pela internet a alguns anos com meu blog de decoração e adoro
    tudo referente ao assunto. Sei que o assunto não é decoração mas adoro
    saber novidades em diferentes nichos e áreas. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.