Quais são os gêneros textuais de pesquisa e seus métodos?

Você sabe a diferença entre ensaio, artigo, monografia, TCC, dissertação e tese? O que define cada um desses textos científicos e qual a importância do método em cada um deles?

Você tem um problema científico para pesquisar, mas não sabe por quais caminhos traçar o seu trabalho? A solução para isso é descobrir qual o método certo para começar e, desta maneira, é preciso conhecer os métodos existentes, seguindo algum deles ou combinando-os de maneira coerente para o início do trabalho. Comecemos pelo básico: o que é método ou metodologia? É uma palavra derivada da junção de três vocábulos gregos que explicam o seu significado: metà (para além de), odòs (caminho) e logos (pensar), ou seja, significa o caminho que vai levar além do pensamento, do conhecimento já estabelecido sobre o problema, que guiará os caminhos de pesquisa e ajudará a desvendar as possíveis soluções ou novos caminhos sobre o problema proposto. 

Assim, ao traçar um problema a ser resolvido por uma possível pesquisa, seja ele o objeto de uma monografia, artigo, dissertação ou tese, é preciso traçar previamente as possíveis vias de trabalho que ajudarão a desvendar as variáveis que podem levar até a sua resolução. Disto parte a diferença entre cada tipo de gênero textual acadêmico como os citados acima, do mais simples (artigo) ao mais complexo (tese), cada um deles também estabelece um pressuposto de análise do problema para o pesquisar:

Ensaio: este tipo de texto está mais para uma reflexão de ideias, as possíveis vertentes de análise e caminhos necessários para a pesquisa sobre o problema. É uma especulação que não visa atingir uma solução ou tampouco esgotar as possibilidades de pesquisa. É como se fosse uma primeira sondagem sobre as possibilidades que oferece a investigação do problema, uma apresentação
Artigo: gênero textual subsequente ao ensaio em nível de complexidade, também é uma forma de tatear os possíveis caminhos para a investigação do problema, porém, de maneira mais objetiva, já tendo em vista qual o método a ser utilizado. No entanto, sua principal função é ainda expor o problema, devido ao seu tamanho reduzido.
Monografia: é uma forma simples de investigação do problema, cruzando a bibliografia já estabelecida que existe sobre ele, indicando um processo de racionalização entre as teorias já estabelecidas que o rondam.
Trabalho de conclusão de curso: é de complexidade similar à da monografia, porém, normalmente, também exige um projeto prático de pesquisa, como uma experiência de campo, de laboratório ou a criação de um documentário em vídeo, etc.
Dissertação: visa o esgotamento da bibliografia já estabelecida que margeia o problema, estabelecendo uma proposta de análise estrita e cruzamento de teorias de complexidade maior que a da monografia. É um trabalho de maior fôlego e geralmente desenvolve o caminho exigido para a resolução objetiva do problema.
Tese: é o gênero de maior complexidade, tanto que confere o título de doutor em sentido estrito com relação ao problema específico. Não só pontua, como resolve um problema original, como já contém a metodologia estabelecida de análise no projeto que antecede o início de sua feitura. A conclusão deve chegar à resolução pelo menos parcial do objeto de pesquisa, contribuindo para a pesquisa científica de seu país.

Tendo em vista os gêneros textuais acadêmicos e a metodologia específica a cada um deles, percebe-se que é um longo caminho a ser percorrido antes que qualquer problema científico seja objetivamente resolvido. No entanto, nenhum deles pode ser iniciado de forma coerente sem que sua metodologia seja traçada previamente ou, pelo menos tateada — no caso do ensaio. Para isso, o pesquisador precisa ter um conhecimento sobre as linhas metodológicas de sua área de investigação que varia de acordo com a complexidade do gênero textual acadêmico que irá produzir. Contudo, o artigo científico é polivalente, uma vez que, apesar de somente apresentar o problema de maneira objetiva, é o principal veículo de divulgação da pesquisa científica por meio de revistas acadêmicas, por isso, utilizado por pesquisadores de todos os graus de instrução. Porém, quanto maior a titulação do autor, normalmente, maior a objetividade dos resultados do artigo.

Texto produzido pela equipe da Futuro Eventos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.