Qual a diferença entre um curso de bacharelado e licenciatura?

Saiba quais as diferenças básicas entre os currículos de bacharelado e licenciatura do seu curso e quais as oportunidades de carreira que cada modalidade oferece.

Para os estudantes que ainda não sabem direito qual decisão tomar com relação à escolha da habilitação específica relativa ao seu curso de graduação, este post é leitura essencial para sanar maiores dúvidas. Afinal, qual a diferença entre cursar uma licenciatura ou um bacharelado? A resposta sintética básica é: a licenciatura prepara você para dar aula, enquanto o bacharelado prepara para seguir uma carreira científica. Mas isso não quer dizer que um bacharel seja incapaz de dar aula. Na verdade, a licenciatura é atualmente uma exigência legal para a entrada de professores na rede pública de ensino.

No entanto, é importante lembrar que a formação específica trazida pela licenciatura é uma experiência muito rica para o estudante se preparar para o ensino em sala de aula. Todo curso de licenciatura conta com matérias pedagógicas importantes para a formação de um professor. Nelas, o aluno aprende sobre métodos de ensino e aprendizagem, psicologia e noções básicas de pedagogia. Também, é exigido um estágio obrigatório de pelo menos 6 meses em sala de aula, dando ao estudante a oportunidade de treinar a sua didática antes de se formar.

Já nos cursos de bacharelado, não há essas matérias pedagógicas nem o estágio obrigatório. Ao invés disso, o aluno preenche a sua carga horária com disciplinas voltadas à pesquisa e ao fomento do conhecimento. Ele se prepara assim para uma carreira científica, em que o aprendizado pedagógico é deixado de lado. Porém, como a área científica no Brasil basicamente se restringe às universidades públicas e, todo pesquisador acaba também em sala de aula, fica a pergunta, por que não também incluir aos cursos de bacharelado algumas noções básicas de pedagogia?

Outra diferença básica relativa aos currículos de licenciatura e bacharelado é que, na primeira modalidade, o aluno não precisa redigir uma monografia muito extensa ao final do curso. Normalmente, são requisitados ensaios monográficos ou artigos relativos a alguma experiência em sala de aula. Já no bacharelado, é exigido um trabalho científico mais extenso, que demonstre a capacidade do aluno em cruzar diferentes pontos de vista científicos com relação a um problema. Há também a exigência de que o aluno de bacharelado participe de grupos de estudo e pesquisa dentro da universidade, assim como entre em algum programa de iniciação científica vinculado a algum professor orientador. Alunos de licenciatura também podem participar desses programas de incentivo à pesquisa, apesar de não terem sua formação especificamente voltada para a área científica.

Ou seja, na prática, a licenciatura como requisito para lecionar está mais para uma exigência legal do que para uma formação muito diferente daquela que se obtém através do bacharelado. Contudo, a licenciatura ainda garante ao formado maiores oportunidades de emprego, pelo menos dentro da rede pública de ensino. Não são todas as escolas da rede privada que exigem a licenciatura, porém, a maioria dos concursos públicos para professores a exigem, exceto àqueles concursos direcionados para professores que atuarão no Ensino Superior. No entanto, a Reforma do

Ensino Médio prevê que os professores com saber notório possam dar aulas dentro das matérias de ensino técnico e profissionalizante. O ideal, para aqueles que querem continuar seus estudos numa pós-graduação, é que cursem tanto o bacharelado quanto a licenciatura. Quando se termina uma das modalidades, normalmente é possível pedir permanência dentro da universidade para a formação complementar que abarque a outra modalidade.

Texto produzido pela equipe da Futuro Eventos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.