José Eustáquio Romão

Futuro Eventos – Mais do que um evento, uma relação humana e profissional.
Por José Eustáquio Romão

Quando convidado, pela primeira vez, para proferir uma palestra em um congresso organizado pela Futuro Eventos, senti um misto de alegria e de preocupação. Alegria, porque verifiquei no “cardápio” histórico de conferencistas e palestrantes da entidade um elenco dos mais reconhecidos na área de educação, que era a área de conhecimento em que eu tinha referências para uma avaliação qualitativa do reconhecimento científico-acadêmico. Portanto, integrar um “time” de tal gabarito provocaria alegria em qualquer convidado. A preocupação simultânea derivava do resultado de um levantamento inicial que fiz e que me pareceu, à época, que se tratava de uma empresa promotora de eventos educacionais e que, portanto, acabava gerando o que, no jargão da comunidade científico-acadêmica, chamávamos pejorativamente de “espetáculos pedagógicos massivos” do “turismo acadêmico”, que não deixava nada nos educadores participantes que, tocados pelos aspectos emocionais da “espetacularidade”, pouco apreendiam e aproveitavam do caráter científico que deve ter toda formação continuada.

Mesmo com essa preocupação, propus-me a preparar uma apresentação de caráter acadêmico e com rigoroso cunho científico, presumindo que o choque do “espetacularemocional” com a seriedade do que prepara liquidaria minha parceria com a Futuro Eventos na primeira experiência.

Qual não foi minha surpresa, ao chegar ao local do evento, em Curitiba, e constatar uma série de detalhes que contrariavam minhas presunções desqualificadoras de eventos da mesma natureza: uma organização impecável, desde a atenção dispensada aos palestrantes e aos participantes; um profissionalismo acima de qualquer suspeita; uma preocupação com a formação, como verdadeiro processo e, não apenas, como eventual acontecimento; um tratamento pessoal, “artesanal”, no sentido de, por sua “massividade”, cada participante não ser transformado em um número. Já no primeiro encontro com a equipe de direção e de apoio da Futuro, fui tratado pelo nome e observei que a mesma atenção era dispensada ao mais humilde frequentador do acontecimento. Respirei aliviado e cheguei a expressar meu sentimento a uma colega que me acompanhava: “Estamos entre verdadeiros educadores!”.

Novas surpresas foram surgindo, dentro as quais eu destacaria:

a) Incorporação adequada e oportuna das novas tecnologias da informação e da comunicação (TICs), que permitia a nós, palestrantes e conferencistas, lidar, simultaneamente, com uma verdadeira massa de educadores, egressos de todas as regiões e rincões mais distantes do País, com metodologias e procedimentos educacionais adequados.

b) Depois das grandes conferências de abertura, sobre um tema atualizado e de interesse geral, os participantes eram distribuídos em salas menores para a discussão mais aprofundada dos subtemas de interesses específicos.

c) A organização de eventos subsequentes sobre determinado tema, como “Avaliação”, para os quais fui novamente convidado – contrariava, portanto minha presunção de que participaria apenas do primeiro por causa do tratamento não “espetacular”, mas acadêmico-científico, que dera à minha primeira participação –, constituindo um verdadeiro processo de formação continuada e, não de mero evento.

Em suma, rapidamente fui percebendo a seriedade e o compromisso da “empresa” – que não era apenas uma empresa com a mira nos aspectos financeiros –, mas uma verdadeira agência formadora de recursos humanos para a educação brasileira. Além de tudo isso, convidando colegas de outros países, que são referência na comunidade dos educadores e dos pesquisadores da educação, a Futuro Eventos tem proporcionado não apenas a possibilidade de apreensão dos resultados dos estudos sobre Educação Comparada pelos educadores brasileiros, como também tem propiciado o congraçamento entre os povos e potencializado a dimensão da internacionalização – uma das mais recomendadas, hoje em dia, pelas agências de regulação, avaliação e de fomento da educação do País. Finalmente, mas não menos importante, Futuro Eventos, com sua política editorial, tem deixado registros de conferências, palestras, discussões, debates, depoimentos, testemunhos, relatórios de experiências, constituindo um acervo da memória da educação brasileira de consulta obrigatória, seja para a pesquisa, seja para as intervenções mais qualificadas no campo da educação.

Uma das provas da contrariedade a minhas presunções inicialmente “desconfiadas” – como todo bom mineiro, que não fala, desconfia, eu não construí hipóteses, mas “desconfianças”, “suspeitas” – tem sido a fidelidade do público aos convites da Futura Eventos que, a despeito de conjunturas de crise, continua promovendo congressos e eventos 3 congêneres e obtendo uma resposta que espanta até mesmo aos concorrentes. Um destaque especial: percebe-se, no trabalho com a alta administração da organização, a confirmação do ditado popular de que a “família unida pode tudo” e que, no caso da Futuro Eventos, nem os limites do caráter doméstico de empreendimentos de mesma natureza institucional tiram o brilho dos resultados de um trabalho profundamente profissional.

 

José Eustáquio Romão
Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo; Diretor Fundador do Instituto Paulo Freire, Diretor do Programa de Doutorado e Mestrado em Educação da Universidade Nove de Julho (Uninove), de São Paulo; Conselheiro do Conselho Nacional de Educação (1912-1916); Secretário geral do Conselho Mundial dos Institutos Paulo Freire.

RECEBA NOSSO CONTEÚDO EXCLUSIVO.